Conhecendo o método hipopressivo

Fui convidada pelo Alexandre Alves a conhecer o método Hipopressivo.

A princípio aceitei, pois realmente me interessei pelo assunto. Mal sabia eu que além de me interessar, eu iria embarcar nesse universo e tentar encontrar melhores resultados através dele.

Fiz primeiro uma aula para conhecer o método e tirei fotos desse primeiro dia.

Não tenho uma boa relação com a minha barriga, na verdade a gente foge uma da outra (brincadeira gente).

Eu tenho uma cicatriz grande e muita flacidez e, por essa razão, acabo não mostrando a minha barriga por nada.

Mas decidi que vou expor a minha barriga mole e flácida para vocês, assim, todos juntos acompanharemos essa evolução.

image

Para os curiosos que quiserem saber um pouco mais sobre o método, segue uma explicação do Ale pra vocês.

“Metodo Hipopressivo: A revolução dos abdominais e dos cuidados com o imageassoalho pélvico.

O método hipopressivo foi criado nos anos 80 pelo belga Marcel Caufriez. Observando os efeitos nocivos dos abdominais sobre o assoalho pélvico ele  também percebeu quanto esse exercício também era ruim para o próprio músculo abdominal e para as costas.

Durante a gestação, o útero exerce um grande peso sobre o assoalho pélvico e também empurra o reto abdominal para frente, gerando uma separação chamada diastase .

As disfunções no assoalho pélvico resultam em alterações  patológicas dessa região segundo Rao (2010), condições que afetam 25% da população, promovendo transtornos na qualidade de vida e distúrbios psicológicos, alem de absenteísmo laboral.

Até então, a diástase não tinha tratamento a não ser cirúrgico. A perda do tônus de sustentação dessa musculatura, leva também  a  sérios problemas posturais. Hoje em dia, sabemos que o exercício hipopressivo é capaz de reduzir a diástase abdominal.

A realização dos exercícios hipopressivos, como diz o nome, diminui a pressão intra abdominal, aspirando as vísceras para cima e tonificando a parede abdominal. Segundo investigações cientificas, o método é capaz de:

1 Reduzir o perímetro da cintura em até 8%

2 Melhorar a postura, reduzindo lordoses e cifoses

3 Aumento do tônus do assoalho pélvico e da faixa abdominal em 58%

4 Incremento da forca do Assoalho pélvico em 20%

5 Aumento do metabolismo em 15%

6 Previne a incontinência urinaria

7 Evita prolapsos

8 Previne hérnias vaginais

9 Melhora da vascularização e da sensibilidade sexual.

Em Jacome et all, 2011, detectou-se que 45% das atletas tem problemas de incontinências urinarias, o que reduz a performance, torna-as frustradas  e desconfortáveis.

Em Kary Bo, 2011, revela-se que 26,3 % dos instrutores de pilates e Ioga padecem de incontinência urinara com perdas durante o esforço em 10,9 % dos casos.

A explicação dessas estatísticas sustenta que a pratica esportiva aumenta a pressão intra abdominal e agride o assoalho pélvico. Apos o parto, quando essa musculatura está ainda mais fragilizada, a intensidade do esforço, como corridas e saltos e abdominais podem aumentar e muito a incidência de incontinências urinarias.

Em um estudo da National Strenght and Conditioning Association’s Journal of Strenght and Conditioning Research mostra que abdominais convencionais não reduzem a cintura, não diminuem a massa gorda e nem aumentam de forma significativa a força concêntrica ou excêntrica e sim, aumenta o risco de hérnias abdominais, inguinais e discais, disfunções sexuais, prolapsos uterinos  e incontinências urinarias.

É fácil descobrirmos se a nossa faixa abdominal está cumprindo sua função de sustentação.  Deite-se de barriga para cima, coloque a mão sobre o umbigo produza uma tosse. Se a barriga subir, seu músculo não suporta aumentos de pressão intra abdominal. Nos não nascemos dessa forma, nosso músculo se desprograma pelo aumentos de pressão das atividades do dia a dia, mas principalmente, por exercícios mal feitos e má postura.

Hoje, temos um exercício que respeita a fisiologia e neurologia do conjunto abdomem/assoalho pélvico. O exercício hipopressivo! No Brasil, há muito pouca gente certificada, por isso devemos nos certificar se o profissional tem habilitação para trabalhar com o método.”

 

ff3c63_7f5454c5bcb34cc38ffa3401d43a15fc

Prof. Alexandre Alves,

Licenciado Expert no método hipopressivo e diretor da Fitmommy

                                                          www.fitmommy.com.br

 

 

 

 

Author: realmommy

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.