Eu X Compulsão Alimentar (parte2)

Oi queridos. Como prometido aqui estou eu, mostrando a minha realidade na luta contra os transtornos alimentares.

Uma coisa que posso dizer a você que vive uma batalha silenciosa, somente sua, dolorosa, intensa contra um transtorno alimentar, NÃO TENHA VERGONHA DE PEDIR AJUDA.

Não é humilhante, ou um fracasso reconhecer alguma fraqueza sua. Nesse caso inclusive, sua saúde está em jogo.

Em um determinado momento tive que pedir ajuda ao meu marido.

Vou contar agora como foi essa minha primeira semana lutando essa guerra. (Para quem não leu o post anterior, tive uma crise muito intensa de compulsão e agora estou tentando estabilizar, após ler esta, leia a postagem que fiz antes dessa falando do tema)clique aqui

Primeiro fui ao mercado fazer compras, pois não tinha nada em casa. Minha estratégia para não atacar no mercado foi jantar antes de ir.

DICA 1: nunca vá ao mercado de barriga vazia

Durante as compras não me permiti pegar nada que não fosse saudável.

Sei a minha fraqueza, não posso ter besteiras em casa, sei que acabo não resistindo e em um determinado momento, devoro tudo de uma vez. Se tenho vontade de algo, compro uma porção pequena, como e pronto mato a vontade.

Algumas coisas são como uma gatilho pra mim, e me fazem perder o controle.

DICA 2: identifique o que te faz perder o controle e evite isso, principalmente se estiver se recuperando de uma crise compulsiva.

Durante essa primeira semana fiz atividade física de forma regrada e intensa. Inclusive no sábado. Fui ao parque do Ibirapuera e participei de um circuito matador. Fiquei podre depois, mas valeu a pena.

Quando não faço atividade física, fica mais fácil não me controlar. Acho que penso no sacrifício que foi me matar na malhação hahahahaha.

Tomei café da manhã, comi algo no meio da manhã, almocei, tomei lanche da tarde e jantei.

Vou dar um exemplo do cardápio de um dia meu. Lembrando que isso foi o que funcionou pra mim. Se possível procure um profissional que possa te ajudar.

  • Café da manhã – 2 fatias de pão leve light sem casca + peito de peru e queijo mussarela;
  • lanche da manhã – danone com linhaça;
  • Almoço – 3 colheres de sopa de arroz integral com lentilha, frango, salada de folhas e tempero;
  • lanche da tarde – 1 fruta com 2 castanhas de caju e 1 amendoa;
  • jantar – legume, frango e salada (evitei arroz, macarrão e pão nessa refeição todos os dias)
  • ceia – iogurte desnatado de coco

Isso foi um dia meu durante essa semana.

Precisei pedir ajuda ao meu marido, dizer que estava em crise, que não conseguia me controlar, que comia escondido todos os dias.

Ele me ajudou e fez o possível para não me expor a nenhuma situação que me fizesse fracassar.

Porém ninguém melhor que nós mesmos pra sabermos nossas limitações.

Houve um dia em que ele me propôs almoçarmos em um restaurante japonês, um rodízio. Tenho muito problema com esse tipo de restaurante. Me descontrolo e como sempre a mais do que devo.

Olhei pra ele e disse, Amor ainda não estou estabilizada, não posso ir.

Pronto fomos a outro lugar e tudo continuou na linha.

Não pense duas vezes antes de dizer não.

Você é forte, tente, diga NÃO.

Nada que te faça mal deve ser permitido por você. Resista, insista, persevere.

E se hoje você não conseguiu, sem problemas. Tente novamente amanhã.

Espero ter ajudado com essa matéria.

Obrigada por ler até o final. Ficou longa eu sei ahahaaah.

Deixo uma foto com a minha foto dessa segunda. Semana que vem terá a próxima.

image

Continuo lutando. Não perco a fé. Não vou desistir.

 

Author: realmommy

Share This Post On

2 Comments

  1. Obrigada por compartilhar tua luta. Me identifiquei – infelizmente, me identifico. Tô sofrendo com isso faz uns 2 anos, quase. E sempre lutando. Também cheguei à mesma conclusão que tu quanto às dicas. Uma das coisas que me ajuda bastante é tomar muita água, chá ou (se preciso meesmo mastigar) cenoura crua. Enche bastante e ajuda a passar a compulsão :)
    Mas é isso. Tem dias que a gnt se sente perdedoras, tem dias que a gente vê o futuro colorido e saudável pra nós. O importante é não desistir e sempre evoluir (mesmo que aos poucos).
    Tô acompanhando tua luta! Boa sorte e muita força! ;*

    Post a Reply
  2. Olá! Parabéns pela coragem, pelo site, pela luta, por tudo! Sofro desse transtorno horrível e estou no meu pior momento dele. Tenho há mts anos (desde os 17, tenho 32) mas já tinha muitos anos que eu não caia por conta dele. Quando digo cair, é cair em depressão. Não quero sair de casa, não quero ver ninguém e que mt menos que as pessoas me vejam assim, gorda e horrível. Ganhei exatamente 6 kg , como vc, nas últimas semanas. Vou te acompanhar, torcer por vc e mais uma vez tentar sair dessa! Força p nós! Beijos

    Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.